logo

Quero ser escritora de Ficção Científica

 

Sou loucamente apaixonada por Ficção Científica. Gosto tanto de ler quanto de assistir, e sinceramente não entendo quem diz odiar o gênero, embora até que faz sentido, pois Ficção Científica ou você ama, ou odeia.

Meu primeiro autor foi Júlio Verne, mais especificamente “Vinte Mil Léguas Submarinas”. Quando li pela primeira vez foi como a descoberta de todo um mundo novo, de aventura e fascinação. Logicamente que li quase todos os seus livros, e quando mais velha, passei a admirá-lo mais ainda, por seu pioneirismo – Júlio Verne é considerado o pai da moderna Ficção Científica – e por sua agudíssima visão do futuro, já que ele previu inúmeras invenções e realizações da Humanidade, como a ida do Homem à Lua, por exemplo.

Pronto, eu estava fisgada. Nada mais poderia me separar da Ficção. Conheci o universo de autores consagrados, de Arthur C. Clarke a Marion Zimmer Bradley, de Isaac Asimov a Aldous Huxley. Como não me ver numa nave espacial, com os primeiros colonos terráqueos, rumo ao planeta do sol vermelho, na incrível série “Darkover”? Ou não me quedar, espantada, com o aparecimento em nosso sistema solar de uma gigantesca nave cilíndrica,no que poderia ser o 1º contato da Terra com seres extraterrestres, no inquietante “Encontro com Rama”? Ou ainda, questionar, seriamente, os rumos que nossa sociedade tecnicista toma, tendo o perigo de sacrificarmos nossa própria essência espiritual, com o visionário “Admirável Mundo Novo”?

No cinema, não foi diferente. Quando meu pai me levou para assistir a estréia de “Guerra nas Estrelas”, primeiro filme da primeira trilogia, eu devia ter uns 9 ou 10 anos, e sei que muitas sutilezas do filme devem ter passado despercebidas para mim, mas mesmo assim o encantamento foi imenso. Lembro bem que ficava atazanando a paciência do meu pai, pois eu não via a hora de assistir o segundo filme, “O Império Contra-Ataca” e depois o terceiro,“O Retorno de Jedi”,após o qual fiquei completamente arrasada, pois aparentemente não haveria mais filmes. Se eu soubesse… Até hoje, não me canso de assistir “Guerra nas Estrelas”, e em todas as ocasiões, vibro, torço, choro e sorrio, como se fosse a primeira vez.

Foram vários filmes lendários… “ET, o Extraterrestre”( o alienígena mais cativante do Universo ), “Contatos Imediatos de 3º grau”( para simpatizantes ufológicos como eu, uma verdadeira obra-prima ), “Guerra dos Mundos” ( extremamente assustador, por ser, pelo menos pra mim, uma possibilidade real), todos os filmes de “Jornada nas Estrelas”( quem não gostaria de viajar pelo Universo, a bordo da Enterprise? ), “ Eu, Robô” ( da ficção para a realidade: já estamos presenciando os avanços da robótica ), “Avatar” ( deslumbrante e ecologicamente correto ),e finalmente a genial trilogia de “Matrix” ( será que não vivemos em uma, afinal de contas?). Enfim, gostei de tantos e tantos outros, que eu poderia ficar horas relembrando.

Sei que, ao longo da minha vida, fui imensamente influenciada por esses livros e filmes, de forma a compor o mosaico que sou, com minhas crenças, valores e pensamentos. Tive a oportunidade de viajar a outros mundos, de fazer parte de sociedades alienígenas, de passar por aventuras incríveis, de vislumbrar o futuro. E isso tudo, veja só, sem sair do sofá da sala ou da minha cama, aconchegada entre edredons e travesseiros.

Escrevo há muito tempo, e já me aventurei por vários gêneros, como poesias e crônicas e, atualmente, embarquei na difícil arte da literatura infantil. Mas, o que eu mais quero, de verdade mesmo, é ser escritora de Ficção Científica. Parece que ainda não encontrei inspiração suficiente, ou talvez, não sei, eu nunca a encontre. Só sei de uma coisa: Viva a Ficção Científica!

 

Marialini G. C. Bertolini

 


divisoria4png


Uma resposta para “Quero ser escritora de Ficção Científica”

  1. Liana Eppinghaus Barbalho Silva Teles diz:

    Também gosto de ficção científica, mas dos antigos apenas – o trio clássico: Arthur Clark, Isaac Asimov e Ray Bradbury. Você conhece este último? Tem um belíssimo conto, “O Homem ilustrado”, sobre um homem tatuado…virou filme, excelente (acho que dos anos 70.. com o ator Rod Steiger)
    Abraços!

Comente